segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Promessa

 

  Aqui, com as estrelas por testemunha, prometo amar-te na alegria e na tristeza.
 Quando me compreenderes e quando esquecer de usar palavras doces.
 Nos dias de nossas férias tão esperadas e com carinho planejadas, e nos dias que nossas contas chegarem, e nossas finanças estiverem no vermelho.
 Prometo amar-te quando estiveres deslumbrante, e amar-te quando estiveres descabelado, ranhento e com o humor vulcânico encorajando-me a manter uma distância segura.        Queria prometer-te o sol, a lua, a felicidade e todo o amor e beleza de suas poesias. Mas não poderei dizer-te o que não sei. Nem prometer-te o que não tenho. Mas prometo oferecer-te a cada manhã um novo começo.
 Prometo assumir sua imperfeição, e ofereço-te a minha. Certa de que só alguém especial como você, é capaz de fazer algo tão imperfeito como eu, funcionar ...

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Canto livre


Quando a gente solta uma palavra
Ela cria asa e voa
Quando a gente solta uma canção
Ela cria asa e voa.
E voa além dos sentidos
E voa além das vontades
E voa levando verdades
De todos nós.
Pois a palavra é
É como um cometa
Que passa riscando o céu
Do coração
Só uma diferença existe
Quando a gente os fita.
É que o cometa
Passa ligeiro
Mas a palavra fica.

FILIZOLA, Fernando.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Carta Urgente

Há coisas que lhe escrevo em cartas
Para não dizê-las
Há coisas que eu escrevo em versos
Para repeti-las
Há coisas que estão na minha alma
E ficarão com você quando eu partir
Em todos acabo dizendo o quanto eu te amei

Há coisas que eu escrevo na cama
Há coisas que eu escrevo no ar
Há coisas que sinto tão minhas que não são de ninguém
Há coisas que eu escrevo com você
Há coisas que sem você nada valem
Há coisas e coisas
Que acabam chegando tão tarde

Há coisas que o tempo leva
Sabe Deus para onde
Há coisas que continuam ancoradas
Quando o tempo passa
Há coisas que estão na minha alma
E ficarão comigo quando eu partir
E em todas acabo sabendo o quanto você me amou
Há cartas tão urgentes que chegam
quando já não tem ninguém

Arbelo,R