segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Ode do Adeus

Quero me viciar
em seu arfar
Como fosse um ópio

Quero naufragar
Neste mar
De seus olhos

Sua pele é o tecido
Mais fino
De sem igual valor

Quero que dedique
Para mim
Todo seu amor

Mas nem sempre o querer
É o poder

Ás vezes as coisas ocorrem
Tão diferente do que deveria ser

Eu escolhi meu caminho
E você sozinho
Ira saber

Quem sabe nos encontremos em paz
Talvez não te ame mais
Ou o ame demais

Não importa seja la como for
Nunca direi meu amor
Além de pelo meu olhar