quinta-feira, 26 de julho de 2012

Lumy





Seja muito bem vinda
A família Franco
Luana Lumy Linda
Que amamos, não imaginas quanto...
Mais que esposa de meu irmão
Será também minha irmã
Sempre terá espaço em nosso coração
E um sorriso sincero, a cada manhã
De forma sincera conquistou
Nosso carinho, com seu esplendor
Com mais ênfase ainda
Dizemos seja MUITO BEM VINDA
A nossa família, com muito amor!

Ao Senhor Das Letras




Não sei direito quem é
Nem, até que ponto, é verdade
O pouco que sei, me fez ter fé
Que o tanto que é, tem força de vontade
A sensibilidade, a arte de ser humano
 - que vai muito além de caridade -
é uma característica encontrada em seu ser
Como o de outros, a sua idade
Que em suas épocas foram gênios
assim como o és, nesta sua nova cidade
Artista, poeta, sonhador
atiçando em nós, nossa curiosidade...
Sr Shakespeare bem falou
Que eternizaria em seus poemas, sua amada
Sr Keats, muito bem cantou
Que voaria eternamente em suas poesias aladas
Tal como a um Rouxinol, humilde ave...
Sua poesia e a si mesmo - foi comparada
Essa ânsia de não esvanecer o levou
a sua alma em seus poemas, ser eternizada
Tamanho sentimentalismo
O enxerguei ao ler sua obra de arte
É como se vivessem ao mesmo tempo
Do mesmo mundo, fizessem parte
O que eu sinto ao ler seus poemas delicados
é o mesmo que senti, ao ler
Esses grandes poetas acima mencionados
Poetas, grandes, pela arte de sentir
que ouso, ao senhor, sr Wiltenburg,
serem comparado
Eu te digo sinceramente que meu coração já tem dono
E é por ele muito bem cuidado
Mas toda minha admiração artística
É para o senhor, Senhor das Letras,
de forma sincera devotado...

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Amo



Sim, eu amo
Amo cada vez que escuto sua voz
Amo cada vez que te vejo
Amo a cada versejo
Amo por saber que me ama, vós...
Amo a cada plano construído
Amo a cada projeto instruído
Na construção de nosso mundo, "a sós"
Amo, por saber que "eu" não será a mim
Amo ao saber que a "você", assunto não chegará ao fim
Que essas palavrinhas se tornarão um "Nós"
Amo ao ver minha vida com você planejada
Nossa vida a dois - tão desejada
Juntos desataremos a cada surgir - dos "nós"
Desatando esses nós apertados
E nós dois, sem planos em estar apartados
Mesmo pelo o que já enfrentado
Esses problemas tão pesados
Como as "Mós"
Sim, eu amo!

Atrás Daquele Morro



Atrás daquele morro
Existe um poeta;
Atrás daquele morro
Insiste o poeta,
Um poeta triste
A chorar...
Atrás daquele morro
Um poeta amou;
Atrás daquele morro
alguém o abandonou,
Pobre poeta!
Pobre poeta!
Ainda a espera,
Daquela a quem dera
Seu amor, na primavera
Pobre poeta!
Pobre poeta!
Alguém o consolou?
Alguém verdadeiramente o amou?
Deixe-me seguir
Deixe-o sorrir
Atrás daquele morro
Deixe-o existir...

Sou Humana



Não é uma princesa vinda nas nuvens
Nem ao menos, uma fada com um encanto em sua varinha
É um simples ser-humano sujeito a falhas
A qual fraquezas tu mesmo as adivinhas

Não a admire, não assim por favor
No seu coração não há talento
Nem inteligências ou habilidades
Somente amor

Alguns confundem amor com perfeição
Quando do contrário convencidos
Se sente traídos
E partem cruelmente seu coração

Não me julguem sobre-humana
Não trago promessas, nem confiança
Talvez transmita segurança

No fundo sou sonhadora, nem tanto corajosa
Em nada mestre ou talentosa
Apenas no olhar, trago uma esperança

terça-feira, 24 de julho de 2012

Lembranças De Um Dia Desses


Quisera eu falar palavras doces, palavras que expressem lembranças de um dia bom. Não que não houvesse existido, mas o que fica em minha memória é a lembrança de um olhar triste. Olhar que reparei em um breve instante, mas que foi impactante e não consigo hoje me livrar. Era um jovem belo, mas que esquecera de sorrir. Seus olhos eram amargurados e seu silêncio era em absoluto. Curiosa fiquei em saber o que se passara, mas nada podia fazer - ou muito pouco. Misterioso garoto de preto, sempre com as mesmas roupas - de luto - sempre com as mesmas pessoas, e sempre no mesmo silêncio. Nenhum sorriso pintado em seu rosto. Não sei o que chateava, não entendo seu mistério, mas todos os dias era a mesma situação, pois começara eu a reparar nesse garoto, desde o dia que vi aquele olhar tão distante e frio. Por pouco momento, fragmentos de segundos, ele fixou seu olhar no meu, o qual até hoje, 10 anos depois, continua bem vivo em minha memória. Lembro-me que eram verdes, olhos verde-mar. Eram belos - tristes, é verdade - mas belos. Davam amor sem amar. Lembro que dias posteriores, esse misterioso garoto se destacava por suas notas altas, em sala de aula. Tanta inteligência, tanta frieza... Seus cabelos negros, sua estatura alta, seus olhos verde-mar, e sua destacada inteligência - nada era suficiente para fazer esse garoto sorrir. Com coração apertado me vem a lembrança desse dia de inverno... E junto me vem a lembrança do dia que soube, que esse garoto triste foi vencido pela depressão, e que a dor era tanta que foi se envolver no manto escuro da morte. Por anos não tive notícias, mas por anos eternizei esses momentos em meus escritos... poesias contos e crônicas, davam finais mais feliz a esse garoto. Ele nunca soube que alguém o notara com empatia. Ou até mesmo soubesse, mas não sabia expressar. No seu último dia de aula, do seu último ano, quando voltava para casa, passávamos pelo mesmo caminho, ele logo atrás, apurando seus passos, ultrapassando-me olhou para trás, e com seus olhos nos meus, deu um gracioso sorriso - sorriso que passara meu colegial procurando em seu rosto misterioso - Esse sorriso me dizia tanto... parecia que se despedia, como se soubesse o que lhe iria acontecer anos a frente. Neste dia deixei a tristeza um pouco de lado, para reparar aquele momento tão efêmero, pois sabia que aquele sorriso duraria pouco, senti que devia me sentir feliz naquele momento, pois logo passaria. Em todos meus contos, e meus poemas, esse misterioso garoto vive, sorri, ama e é amado, muito embora a vida tenha sido tão cruel, roubando-lhe o sorriso seu...

Não Te Culpes Por Ser Humano



Por que o julgas ingrato,
Ó mais talentoso dos humanos?
Talento expresso além de planos
És na arte ao ser sensato
Não acredito eu ser algum pecado
Se em algum dia tristes sentires, ou cansado,
Essas coisas costumam a acontecer
Não te culpes se não o entender
É normal dias assim, irás sobreviver
Estás rodeado de pessoas queridas
Que sempre em suas vidas
Um lugar especial, terão a você...

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Brisa



A suave brisa do inverno
Balança a vegetação do campo
Não se passa sua beleza em caderno
Nem se melodia seu canto.

Dizem que essa vida é um inferno
E que não se encontra nela descanso
É que não prestam atenção na brisa do inverno
Quando balança a vegetação do campo.

Esse encantamento é eterno
E as flores dançam ao som deste canto
Quando a suave brisa do inverno
Balança a vegetação do campo.

É suave como um abraço materno
É calmo, tanto que não se diz quanto
A suave brisa do inverno
Que balança a vegetação do campo...

De Coração Para Coração


Poeta triste, poeta triste!
Por que insiste esta tristeza a te perturbar?
Poeta triste, poeta triste
Será que existe, neste vasto mundo, alguém a lhe consolar?
Eu tentei, tentei me aproximar
Mas tenho medo de tudo estragar
De as coisas confundir
E mais um coração ferir
Em vez de o animar...
Poeta triste, ouça minhas palavras, que no silêncio soam
Veja o meu olhar, que sonhos entoam
Querido poeta, por que desse sorriso fingido?
Sabia, que amigos, juntos unidos,
nem sempre consegue desfazer essa angustia?
Porque logo vão embora, e a luz é apagada
Você fica, sozinho, na sacada
Olhando a lua e perguntando:
O que dói, porque dói...
Poeta triste, querido humano
Não sejas insano e me ouça por favor
Há um caminho belo, o do amor
Que traz tantas alegrias... ai poeta
Quem me dera abraçá-lo em consolação
- um abraço fraterno apertado -
Considere-se abraçado
De coração, pra coração...

Olhos Secos







Uma poesia em forma de canção
Que escorre como lágrimas vindas sinceras
Desse sombrio coração
Embora esse olhar tão triste
É esse olhar que tem sido a inspiração
Destas palavras desordenadas, atrapalhadas
Tendo como objetivo apenas
uma medíocre consolação
Porque não consigo acreditar neste seu sorrir?
Parece tão mecânico, nada de sentimento
O que está atrapalhando seu existir?
Desejo-lhe alegria, carinho, nem que seja por um momento
Um momento mesmo que efêmero, mas que possa brilhar
Sim, fazer brilhar esse doce olhar que exprimem os pensamentos
Pensamentos e sentimentos o qual não precisa palavras
Para o expressar,
É só prestar atenção
E chegar a conclusão que seu coração
É uma caixinha mágica cheia de surpresas lindas
que de forma graciosa são vindas
Para nossa admiração
Ao mesmo tempo, um coraçãozinho doente e ferido
Quantas perdas, quantas coisas sem sentido
Que lhe sobrevieram e simplesmente tivera que aceitar...
Gostaria de estar frente a frente para dizer estar palavras
Vindas sinceras - ai quem me dera
Que fossem computadas e para ti recitadas
Para que surgissem estrelas em seu olhar...