terça-feira, 26 de abril de 2016

E ele usou o pincel da sabedoria
Mergulhada na tinta do amor
E começou o esboço
Como todo bom artista faz
Calculou cada pincelada
Nada disso é cópia
Mas criação de sua própria mente
E ele misturou as cores
E as revelou com a luz
E ao ver sua arte
Seus ''espectadores'' aplaudiram
E bradaram em homenagem
Ele compôs
cada melodia nunca antes tocada
Deu início a pautas, sustenidos e bemóis
E então moldou cada escultura
Grandiosas e nano
E então deu início
A grande máquina do ciclo natural
Até hoje a observamos espantados
diante de nossa fragilidade
Seu ato engenhoso
E hoje a gente pinta
E hoje a gente canta
E hoje a gente molda
E chamamos de criação
Aquilo que Dele copiamos


segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Promessa

 

  Aqui, com as estrelas por testemunha, prometo amar-te na alegria e na tristeza.
 Quando me compreenderes e quando esquecer de usar palavras doces.
 Nos dias de nossas férias tão esperadas e com carinho planejadas, e nos dias que nossas contas chegarem, e nossas finanças estiverem no vermelho.
 Prometo amar-te quando estiveres deslumbrante, e amar-te quando estiveres descabelado, ranhento e com o humor vulcânico encorajando-me a manter uma distância segura.        Queria prometer-te o sol, a lua, a felicidade e todo o amor e beleza de suas poesias. Mas não poderei dizer-te o que não sei. Nem prometer-te o que não tenho. Mas prometo oferecer-te a cada manhã um novo começo.
 Prometo assumir sua imperfeição, e ofereço-te a minha. Certa de que só alguém especial como você, é capaz de fazer algo tão imperfeito como eu, funcionar ...

sábado, 27 de fevereiro de 2016

Canto livre


Quando a gente solta uma palavra
Ela cria asa e voa
Quando a gente solta uma canção
Ela cria asa e voa.
E voa além dos sentidos
E voa além das vontades
E voa levando verdades
De todos nós.
Pois a palavra é
É como um cometa
Que passa riscando o céu
Do coração
Só uma diferença existe
Quando a gente os fita.
É que o cometa
Passa ligeiro
Mas a palavra fica.

FILIZOLA, Fernando.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Carta Urgente

Há coisas que lhe escrevo em cartas
Para não dizê-las
Há coisas que eu escrevo em versos
Para repeti-las
Há coisas que estão na minha alma
E ficarão com você quando eu partir
Em todos acabo dizendo o quanto eu te amei

Há coisas que eu escrevo na cama
Há coisas que eu escrevo no ar
Há coisas que sinto tão minhas que não são de ninguém
Há coisas que eu escrevo com você
Há coisas que sem você nada valem
Há coisas e coisas
Que acabam chegando tão tarde

Há coisas que o tempo leva
Sabe Deus para onde
Há coisas que continuam ancoradas
Quando o tempo passa
Há coisas que estão na minha alma
E ficarão comigo quando eu partir
E em todas acabo sabendo o quanto você me amou
Há cartas tão urgentes que chegam
quando já não tem ninguém

Arbelo,R

sábado, 2 de janeiro de 2016

I

Quem para a lua olhar
E sua alma sentir-se alimentada
Em métricas irá me formar
Para que assim fique eternizada.
Eu sou da riqueza a amostra,
Das belezas do mundo sou ornada
Eu sou de tristeza composta
Nas melodias eu sou alada.
Eu toco os sensíveis corações
Quando sou por outros cantada
Habito nas lindas canções
Eu sou por alguns recitada.
Pelos que usam a vida para me entender
Eu sou incrivelmente amada!
Eu sou presente em cada amanhecer
Vivo em sua mente fixada...
Posso instigar revolução
Posso ser guerreira armada
Posso cantar solução
Ser a paz desejada.
Não ignoreis meus intentos,
Tenho força em mim armazenada
Eu sou o dos mais perfeitos inventos
Sou o poder da palavra!


(Pri Franco / Leow Carvalho)

domingo, 6 de dezembro de 2015

Reanimação




E dói quando respiro
Duvido se ainda existo
Mas sinto você por aqui
Há em mim temor
Pra respirar sinto dor
Minha mente sinto esvair
E em meio a confusão
Você me embala em canção
Ao longe ouço:
"Olhe para mim de novo"

domingo, 15 de novembro de 2015

Entre Mares


As vezes eu paro
As vezes eu penso
Será que ainda pensa em mim?

Quando na noite a lua está alta
E o céu não parece ter fim
Será que lembra que essa mesma lua
Brilha também aqui?

Há um oceano entre nós
Mas não é só de água que o mar é feito
Há o medo de se estar só
Há sangue, há lama, e há nossos defeitos

Que nos afastam de quem amamos
Que destrói o que conquistamos
Não importa se hesitamos
Assim acabamos

Na janela do avião
Ao cruzar o oceano
Segure firme em suas mãos
As sementes de amor
Que por orgulho não semeamos ...